Anita Malfatti

27 de novembro a 28 de dezembro de 1978

É com grande honra que iniciamos nossas atividades com esta exposição de Anita Malfatti, a “sensitiva do Brasil” como tão bem a chamava Mario de Andrade.

Apresentamos uma coleção que abrange todo o trabalho de Anita desde o período de estudos (1913-1916) até suas últimas obras ingênuas dos anos 60.

Consta de pinturas, aquarelas, pastéis, desenhos, água-fortes que participaram desde a primeira exposição de 1914 realizada na Casa Mappin até a última retrospectiva de 1977 no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo.

Agradecemos a colaboração de Paulo Mendes de Almeida, Menotti del Picchia e Marta Rossetti Batista assim como a participação de Viviana Galante e Bety Malfatti.

Paulo Figueiredo Filho e Ricardo Pagotto Camargo

 

Anita Malfatti
por Menotti del Picchia

Duas grandes artistas femininas, paulistas ambas, brilharam no Movimento Modernista que teve sua eclosão nas famosas noitadas no Teatro Municipal em 1922: Anita Malfatti e Tarsila Amaral.

No nosso movimento renovador que teve inicialmente como líderes Oswald de Andrade, Mario de Andrade e eu, a única figura feminina integrada no nosso grupo foi Anita, a pioneira. Sua incursão pela Europa alargara sua visão e sua técnica, liberara-a do naturalismo acadêmico que, no tempo, ainda projetava, da Europa para o mundo, o nome dos grandes pintores.

Talvez a influência renovadora de Cezanne tivesse impressionado a artista brasileira.

Sua pintura característica e austera vinha marcada por uma forte personalidade. Sóbria, segura, autêntica, suas obras não se repetiam. Eram pessoais e características.

Tarsila, a outra grande figura do nosso modernismo, surgiu de um fenômeno diverso.

Foi depois de 22 que, vinda da Europa integrou-se no movimento renovador, repudiando o passado, criando uma pintura característica e original, inaugurando uma temática saborosamente surrealista mas bem brasileira.

Anita, a pioneira, e o grande Di Cavalcanti tornaram-se dentro do movimento os expoentes da nova pintura agora enriquecida pela presença de Tarsila, todos fiéis ao espírito da famosa semana.

Obras participantes