Edo Rocha

14 a 23 de março de 2013

O passado presente
por Edo Rocha

É incomum um artista falar sobre sua obra.
Na verdade, quando ele quer comunicar sua emoção, ele faz a obra e não a explica.
Comecei a pintar aos 13 anos e com 17 estava na IX Bienal de São Paulo.
Ser um artista e arquiteto não é fácil, pois a arquitetura toma muito tempo e dedicação. Em 50 anos, pintei mais de 600 quadros e em 40 anos de arquitetura, mais de 900 projetos e mais de 10.000.000 de m² projetados, enfim, bastante trabalho.
Esta exposição, “O Passado Presente”, tenta mostrar a releitura dos dois lados do meu trabalho, relacionado com o pensamento e a emoção.
Durante minha trajetória tive 2 W, amigos & gurus que interferiram de forma positiva no meu trabalho.
O Wesley Duke Lee e o Willys de Castro, coincidentemente os dois começavam com W e os 2 eram o extremo.
Wesley, a emoção, provocação, irreverente e inusitado, o Willys, o concreto, racional, previsível e coerente.
Demorou algum tempo para que estas duas forças, aparentemente antagônicas, se harmonizassem em um único pensamento.
Esta exposição junta o pensamento, a emoção, o sentimento e a sensação, de forma a permitir enxergar melhor o futuro.

Obras participantes