Miguel dos Santos

13 de agosto a 06 de setembro de 2001

Apresentar Miguel dos Santos é, para o redator, um prazer. Cada encontro com o paraibano dá ocasião de seguir o que sua prodigiosa fantasia vai alinhando.

Pintor, escultor, ceramista, em cada manifestação o amigo surpreende pela frenética inventiva que nasce da consideração íntima do sentimento, dos casos, da vivência poética do povo.

Intérprete sutil, apaixonado pelos misteriosos enigmas, pelo mágico, pela religiosidade de sua gente.

Miguel mais uma vez está entre nós: maravilhado, como sempre.

Pietro Maria Bardi

A pintura de Miguel dos Santos é algo que me entusiasma, povoando seus quadros a óleo, ou cerâmicas, de bichos estranhos: dragões, metamorfoses, cachorros endemoninhados, santos, mitos e demônios – uma obra tão ligada ao Romanceiro e por isso mesmo, tão expressiva da visão tragicamente fatalista, cruelmente alegre e miticamente verdadeira que o povo brasileiro tem do real.

Ariano Suassuna

Click here to change this text

Obras participantes